Ministros da Fazenda e do Meio Ambiente e Mudança do Clima participam do Fórum Econômico Mundial na Suíça

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad e a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva representaram o Brasil no primeiro dia do Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça). O evento teve início nesta segunda-feira (16/01) e se encerra nesta sexta-feira (20/01), com o tema “Cooperação em um mundo fragmentado”. Acompanhados por uma comitiva de autoridades brasileiras ambos os ministros cunharam discursos que defendem a necessidade de “reposicionar” o Brasil no cenário internacional. Além disso, reforçaram que o país está comprometido com o equilíbrio entre a agenda econômica e ambiental. 


Marina Silva participou do painel intitulado “Em Harmonia com a Natureza”. Durante seu discurso, relembrou que, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil chegou a sair do mapa da fome, mas retornou nos últimos anos. Reforçou que as soluções para problemas como o combate à fome já são conhecidas, o que falta é o compromisso ético e político dos governos como um todo para aplicar soluções. A ministra reforçou que a sustentabilidade não pode ser pautada apenas pela economia e pelo meio ambiente, mas que também precisa estar atrelada às agendas sociais e políticas.


Marina Silva apontou que as pautas de meio ambiente e combate ao desmatamento devem andar em paralelo com o combate às desigualdades sociais e econômicas. Mas, para isso, ressaltou que é necessário haver vontade política.


Por usa vez, Fernando Haddad concedeu entrevista à imprensa ao chegar em Davos. Segundo o ministro, o Brasil tem muito a contribuir com agendas como o combate ao desmatamento, uso de energia renovável e a pauta de desenvolvimento aliado à sustentabilidade. De maneira geral, Haddad afirmou que o governo brasileiro pretende reforçar 3 grandes compromissos com a comunidade internacional:


▪️ Político: reforçou que o compromisso do Brasil em dar suporte para as jornadas democráticas no mundo, sobretudo, na América do Sul, e o combate a todo tipo de extremismo.


▪️ Econômico: reforçou que o modelo de economia defendido pelo Brasil é a retomada do crescimento econômico com sustentabilidade fiscal, ambiental e justiça social.


▪️ Meio ambiente: afirmou que junto com a ministra do meio ambiente, pretendem mostrar ao mundo a dimensão que a sustentabilidade ambiental ganhou e que o Brasil tem muito a contribuir com a comunidade internacional.


Durante a semana, os ministros participaram de diversos painéis de debate e reforçaram a estabilidade democrática no Brasil e o compromisso do país em voltar a crescer economicamente, além de reforçar as pautas de desenvolvimento ambiental e sustentável.


Por: Ulisses Rapassi, vice-presidente da Abrig e sócio-diretor na Prospectiva Consultoria.


** Os artigos/entrevistas publicados são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões neles emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista da Abrig.